Bons games baseados em filmes: Jurassic Park The Game

Hoje trazemos uma publicação um tanto quanto atípica, não é segredo algum nossa predileção pelo bom cinema e pelas boas histórias, e nada melhor do que associar tais elementos em uma mídia diferente, como a dos games. Todos sabemos da mítica real que gira em torno dos jogos baseados em filmes, geralmente pelo lançamento simultâneo com o longa, que busca apenas preencher uma lacuna comercial, temos um produto final de baixa qualidade. Porém em alguns casos temos bons resultados, caso esse de Jurassic Park: The Game, claro que por se tratar de um Point-and-Click, deve agradar apenas aqueles familiarizados com o gênero.

jpthegame

Jurassic Park: The Game foi lançado em novembro de 2011, sendo desenvolvido e distribuído pela Telltale Games, empresa por trás do premiado The Walking Dead e do recente Game of Thrones. O estilo Point-and-Click que a empresa emprega em suas obras, por vezes permite um cuidado maior com a narrativa, resultando em boas histórias, como ocorre em Jurassic Park. O enredo do game é baseado no primeiro filme de franquia de sucesso; os eventos do jogo se passam, à princípio, em simultaneidade com os do longa de 1993, e logo após os eventos iniciais, a trama se desenrola depois da fuga de Alan Grant, John e os demais envolvidos no incidente da ilha Nublar. Temos ainda um estreito envolvimento entre os personagens criados para o game, com os do filme; fator interessante e que entrega a sensação que aquela boa história vista em 93, ganha uma continuidade aqui. E esse é o principal ponto positivo do game, funcionar como um complemento do longa original. Apesar desse complemento acertado, a trama ainda prende a atenção do jogador durante todo seu desenrolar, transcendendo a ideia do game se tratar de apenas uma mera cópia do filme. Os personagens centrais compartilham de motivações e planos que são revelados no decorrer dos capítulos dentro do game, em totalidade quatro, e que são breves, permitindo um concluir relativamente rápido.

A qualidade técnica empregada no jogo não é das melhores, afinal se trata de um título de baixo orçamento e baixo custo de aquisição. Porém a mágica do game está em sua narrativa acertada, e no universo da fita original, que é plenamente reconstruído dentro do jogo. Apesar dos gráficos não serem os melhores, pecando até mesmo em aspectos básicos como expressões faciais pobres e quedas de fps em cenas mais densas (nos consoles), temos dinossauros bem modelados e que trazem os sons originais do longa, reproduzidos fielmente em diversas cenas, e que também são acompanhados das trilhas geniais de John Williams, surgindo sempre em momentos propícios e que fazem a diferença. Os objetos, cenários, visuais e referências são um prato cheio para os fãs da franquia, são pontuais e inundam todo o desenrolar da trama, ao tempo que passam a ideia de um produto original, trazendo ainda novos dinossauros e informações sobre o parque, até então desconhecidas e que são críveis dentro do universo do longa. A jogabilidade é pautada nos Quick-Time Events que surgem nas sequências de ação, essas sempre divertidas, e que passam a sensação do jogador estar fazendo algo real para o desenvolvimento de tal evento, o game também conta com puzzles simples, mas divertidos e diálogos que podem ser escolhidos e servem para o desenrolar da trama e para conhecermos os personagens, apesar dessas possibilidades de escolha não alterarem o final, ou os próprios eventos momentâneos de maneira significativa.

jpthegame4

Jurassic Park: The Game é uma ótima escolha para os fãs, apesar do jogo ser de 2011 e já ser tecnicamente batido naquela época, certamente haverá de proporcionar grande diversão para os mais saudosistas que procuram reaver aquele sentimento gerado por essa franquia tão especial, principalmente para aqueles que como eu, acompanharam-na desde o início. O título está disponível para Microsoft Windows, OS X, PlayStation 3, Xbox 36 e iOS, sendo mais fácil encontrá-los em mídia digital.

Confira o trailer:

 

 

Renan Gonçalves

Geek assumido. Historiador, assíduo leitor, consumidor de cultura pop (o pop não poupa ninguém). Apaixonado por dinossauros e filmes desde que vi Jurassic Park no cinema! O filme que me desvirginou em 93. Fã de carteirinha de James Bond, desde que vi ele saindo com várias mulheres em todos os filmes, mas ele não me desvirginou (Eu acho). Apelido NAN ou Gaúcho, pois uso nó maragato e até de ginete algumas vezes!