Em entrevista, Liam Gallagher fala sobre carreira solo e sua relação com Noel

Sempre dono de declarações polêmicas, Liam Gallagher concedeu uma nova entrevista após três anos de sua última conversa com os jornalistas. Falando com a Revista Q, Liam comentou sobre suas constantes aparições no Twitter, que consistem basicamente em zoar seu irmão mais velho, Noel Gallagher, sobre o que tem produzido artisticamente desde o fim do Beady Eye e se existem planos para uma carreira solo.

Liam revelou que tem praticado exercícios físicos, correndo quase 12 quilômetros por dia, assim como sua recém descoberta paixão: a escalada. “Eu escalei uma (árvore), um dia desses. Eu estava correndo na Heath e pensei, ‘Essa parece uma árvore legal. Eu vou escalar ela’. Subi, sentei lá e fiquei com o meu capuz por uns dez minutos“, afirmou.

Sobre seu irmão e parceiro nos tempos de Oasis, Liam disse: “O que vai acontecer depois? Robbie Williams aparecendo em seu próximo disco? Eu deveria mandar a polícia. Mas veja só, Noel mora em uma casa de 17 milhões de libras. Isso muda você, eu reconheço. Você tem os móveis adequados, as cozinhas adequadas, os vinhos adequados, recomendados pelo Bono e Damon Albarn vira seu amigo. Justo, mas não pra mim“.

E sobre sua carreira, comentou sobre o trabalho que vem criando nos últimos anos: “Eu não estou embarcando em uma carreira solo. Todo mundo precisa saber disso. Existem 10 ou 11 músicas, que eu escrevi que são boas para gravar. Elas têm beleza, atitude, as melodias são demais e as letras são muito boas. É um disco escrito por mim que tem todos os ingredientes certos e soa muito agradável. Você não vai ficar coçando o queixo. Não é Pink Floyd, mas também não é Radiohead.”.

Caso deseje conferir a entrevista na íntegra, basta acessar a Revista Q.

Pedro Ornellas Ribeiro

Apenas um cara comum que é considerado estranho por ter lido 3 edições dos Dicionários dos Cineastas e se lembrar do ano de lançamento, nomes e obras de diversos diretores quando era menor. (Ok, isso é um pouco estranho mesmo) Publicitário, mas que sempre quis trabalhar com cinema. Acredita que as pessoas não são ruins, elas só estão perdidas. Talvez por isso ainda acredite em super heróis. Acredita que o mundo não é binário. Por isso, gosta tanto da DC quanto da Marvel, assim como Star Wars e Star Trek. Ama cinema blockbuster, mas não abre mão de poder assistir um filme alternativo sempre que puder. Não gosta de café. Futebol, política e religião se discutem sim, mas sempre numa boa. Ah, filme favorito? Tubarão (1975), do Spielberg.