[RobotTips] The Walking Dead – No Man’s Land, os zumbis que te matam de graça

Fugindo do padrão de games baseados em filmes/séries que só empolgam fãs durante algumas semanas e depois caem no esquecimento (alguém jogou o cardgame do Big Bang Theory?), esse aqui é tão bom que funciona como uma história paralela no universo de The Walking Dead.

Primeiramente, não vamos confundir com outro jogo da mesma série, mas que tem o subtítulo Road to Survival. Os dois jogos são bons, são gratuitos, mas esse RobotTips é sobre o TWD – No Man’s Land.

Como vários joguinhos gratuitos para celular, você precisa administrar um acampamento com  sobreviventes, evoluindo-os com recursos que você coleta durante os combates para poder aumentar o poder dos sobreviventes que vão para estes combates.

Além de recursos, os upgrades levam tempo para ficar prontos, mas você pode acelerar as coisas com gold (pagando), dispensando não só a espera como também os recursos necessários para o upgrade. Nessa parte, tanto o No Man’s Land como o Road To Survival são semelhantes. Ambos os jogos também tem missões principais, que vão contando uma história, e missões secundárias para coletar recursos.

Assim como a história da série é uma realidade alternativa com alguns mesmos personagens, nos dois jogos as histórias são diferentes. Os personagens da série/HQ estão presentes nos jogos, mas você tem que dar sorte durante os recrutamentos para achá-los. Enquanto isso, vai se virando com os sobreviventes genéricos que aparecem no seu portão.

 

A diferença entre os jogos acontece na hora dos confrontos. Em ambos, o confronto é por turnos, mas Road to Survival está mais para Final Fantasy (você escolhe qual personagem vai atacar quem e com qual poder) enquanto No Man’s Land está mais para X-Com (você gasta as ações para deslocar o personagem e para atacar os inimigos).

Em No Man’s Land, o combate é mais tático, você pode utilizar o deslocamento dos personagens a seu favor, por exemplo, em uma situação em que dois personagens precisam enfrentar 3 zumbis, eles podem ir pra cima com a possibilidade de não conseguir matar um dos zumbis e tomar pelo menos um ataque na vez do inimigo; ou então, os dois avançam só um pouquinho, para chamar a atenção de um zumbi, guardam a outra ação para ficar de guarda (lutando automaticamente se o zumbi se aproximar deles), e no outro round podem lidar com os outros dois zumbis com mais chances de sucesso.

Existem cenários com missões diferentes, em alguns o objetivo é apenas atravessar a área, em outro é fechar um portão, em outro é achar mantimentos. Alguns cenários (a maioria) contam com o aparecimento de mais zumbis depois de algumas rodadas, e cada vez que você utiliza armas de disparo, mais zumbis aparecem nessa conta.

Além disso, tem o outpost, onde você pode atacar bases de outros jogadores para aumentar a entrada de recursos, e também poderá ser atacado para diminuir essa entrada. Você é quem escolhe a estratégia de defesa do outpost.

Chega de papo! Quer saber mais sobre o jogo? Então comece a puxar AGORA! Clique aqui para pegar a versão de Android e clique aqui para a versão da Apple Store, mas não fique de fora dessa jogatina, pois afinal de contas, é GRÁTIS!

 

 

Roj Ventura

Roj Ventura foi, em 2001, responsável pelo experimento social “Predacolândia”, realizado em um tanque de 500 litros com diversos animais de água doce. O projeto era pay-per-view, mas a revolta de vários grupos ecológicos levou ao encerramento do experimento em 2004, com a liberação dos animais sobreviventes no Clube de Campo de Catanduva (que foi interditato no mesmo ano, sem divulgação da causa, pelo Departamento Estadual de Zoonoses). Por motivos federais, Roj Ventura mudou-se para o exterior (provavelmente algum país da América Latina) e aguarda a finalização das investigações da “Operação Tucumã” para poder voltar ao país.